Demissão é um assunto muito delicado e que necessita de muito bom senso para não resultar em uma atitude precipitada e nem uma procrastinação que possa prejudicar o seu negócio.

Na hora de contratar alguém para a sua academia, studio, consultório ou clinica ja sabemos da ferramenta “desenho de cargo” , que facilita essa escolha e minimiza a chance de erro na contratação, alem disso existem inúmeros testes que você pode aplicar para saber se aquela pessoal tem o perfil psicológico para trabalhar como recepcionista em seu negócio, por exemplo, mas mesmo assim existem as chances com o dia a dia dessa pessoa não se adequar ao cargo ou mesmo de ela se mostrar alguém que não agregará ao seu time. Neste caso o que fazer?

Digo por experiência própria, de quase 10 anos trabalhando com isso que o bom senso e a sensibilidade é fundamental, quando entra a empatia na estória. Precisamos como gestores ter uma visão macro das situações e das pessoas, saber quais são as principais debilidades, mas principalmente as principais e utilizar a inteligência para lidar com uma situação desse tipo.

Por exemplo, no caso da recepcionista, se eu sei que essa pessoa que eu contratei é muito boa para trabalhar na parte administrativa, com contas, computadores e agenda por exemplo, mas ao mesmo tempo é uma pessoa que não tem trato pessoal em atendimento, adianta coloca-la na linha de frente para dar informações e ser simpática com as outras pessoas? Acho que não, mas essa visão o gestor precisa desenvolver, pois não vai exigir de um colaborador algo que ele não pode oferecer, pois não é o seu perfil.

Digo que dentro de um negócio temos três estágios antes de pensar em demissão de alguém de sua equipe, e essa ferramenta utilizo bastante na hora de tomar tal decisão.

A primeira delas é a conversa e advertência. Como sempre não existe nada que a gente não consiga resolver com uma boa conversa, não é mesmo? Quando nos sentamos frente a frente e deixamos tudo em “panos limpos” fica mais fácil de seu colaborador saber o que você quer dele e você como gestor compreender o que ele estava querendo com tal atitude que ate ai você não concordava. Na maioria das vezes quando você tem o primeiro contato através das entrevistas de emprego todo mundo parece ser interessante, pois necessitam do emprego, mas depois que o tempo vai passando se essas informações não estiverem bem claras, a tendência é fazer com que as pessoas se acomodem e façam as coisas do jeito delas. Por isso as reuniões rotineiras são tão importantes para alinhar resultados e comportamentos.

Depois que existiu essa possível conversa e advertência mas mesmo assim pareceu não ter surtido efeito passamos para o estágio de relocação de cargo, ou seja, se no seu negócio existir algum outro cargo que essa pessoa poderia ser mais bem aproveitada e se encaixar no perfil dela, seria importante fazer uma tentativa.

Por exemplo, o meu negócio é muito técnico, os profissionais que trabalham nela são professores de educação física, fisioterapeuta, nutricionista, recepcionista e faxineira. Se por um acaso eu tenho um professor que não esta se encaixando nas aulas com nossos alunos dificilmente colocarei ela na recepção ou para fazer a limpeza do Studio, pois a função dele não tem nada compatível com as outras. No caso da recepção se alguma delas não se adequar mesmo passando pelo primeiro estágio e se eu tiver alguma função administrativa que possa transferi-la para dar uma segunda chance, valeria a pena, e no caso do pessoal que faz a limpeza não poderia coloca-los como professores ou fisioterapeutas, pois isso requer uma formação incompatível  com a deles.

Enfim, existem outros modelos de negócios onde existem outras diversas funções nas empresas e portanto mais liberdade de relocar mais pessoas para outras áreas e assim evitar a demissão.

Mas e quando você passou pelas duas fases anteriores e mesmo assim não deu certo? Nesse momento chegou a hora da despedida, pois por mais que tenhamos um bom relacionamento com essas pessoas não podemos deixar que isso prejudique o andamento do seu negócio. Por isso que muitas vezes empresas familiares tem problemas, contratação de amigos também acaba gerindo problemas, pois quando contratamos alguem isso exige posicionamento e principalmente uma separação entre o lado pessoal do profissional e muitas pessoas ainda não conseguem fazer dessa maneira.

Se você ja conversou e advertiu, tentou relocar essa pessoa de lugar dando uma nova oportunidade para exercer outra função que talvez fosse ter um desempenho melhor e mesmo assim não apresentou bons resultados, isso é sinal de que essa pessoa não tem o perfil de seu negócio ou de que não se adequou ao ambiente de trabalho e as funções que você designou a ela, ai sim a demissão é necessária.

Saiba o momento certo para fazer isso para não se arrepender depois ou para não prejudicar a sua empresa em algum sentido, use o bom senso e saiba aproveitar melhor sua equipe! 

Leia mais sobre “Empreendedores de sucesso na área da saúde” e produtividade aqui no Negócios de Saúde. Leia também “Nutrição direcionada ao esporte e atividade física