Quando falamos sobre experiência e vendas a primeira coisa que nos vem a cabeça é como faremos para “seduzir” nosso novo cliente, mas muita gente acaba cometendo um erro que na minha percepção é o que impede de muitas clínicas, studios ou consultório crescerem. 

A primeira pergunta que você precisa fazer é a de qual a experiência que você entrega ao seu aluno ou paciente? Qual a percepção que ele tem do seu negócio? Afinal você esta oferecendo um serviço a ele.

Muitos profissionais cometem um erro ao pensar em direcionar o atendimento e prestação de serviço ao que eles próprios gostariam, mas é preciso entender que os seus desejos perdem totalmente a importância, e sim o que o seu cliente deseja que se torna a prioridade, pois é ele quem irá manter o seu negócio funcionando.

Sabemos que seu negócio precisa ter identidade, conceito e que algumas pessoas irão se conectar a isso e outras não, mas precisa existir essa flexibilidade de desejos para que tudo ande no caminho certo.

Tudo o que compramos, apesar de achar que fazemos isso de forma consciente, não funciona assim. Tudo o que comparamos e levamos pra casa é o nosso inconsciente que produz, e muitos estudos dizem que basta alguns segundos ou minutos iniciais em um determinado local ou analisando algum produto e atendimento, que fará alguém comprar ou desistir da compra, por mais que as pessoas digam que irão pensar e depois voltar para finalizar, dificilmente isso acontecerá, pois se a oportunidade foi perdida naquele momento precioso, dificilmente conseguirá outra igual.

Precisamos identificar como se comunicar com o público que você quer trabalhar, é necessário sensibilidade e cuidado para perceber qual a principal necessidade desse público e de alguma forma proporcionar isso no seu dia a dia. Sabemos que o conhecimento técnico em nossa área é muito importante e faz com que os resultados apareçam, mas também não podemos agir de modo mecânico a ponto de esquecermos que trabalhamos com seres humanos que tem necessidades, desejos, angústias, frustrações e que muitas vezes procuram nosso trabalho para contato com profissionais que possam fazer com que se sintam bem de alguma forma.

A experiência é algo que as pessoas estão comprando, por isso o mercado de roupas, utensílios e muitas coisas ligadas ao lado material perderam mercado para viagens, restaurantes, academias , terapias holísticas e outras formas de se adquirir uma experiência. Quantos vezes não escutamos a  famosa frase “ o que levamos dessa vida, são os momentos que passamos ao lado das pessoas que gostamos” ou ate mesmo “ o que levamos dessa vida é a experiência que tivemos, as viagens e os bons momentos”.

Isso tudo faz com que as pessoas se conectem com elas mesmas, através da experiência.

Nós da área da saúde vendemos experiência e muitas vezes não sabemos, sabe por quê? Porque estamos muito ocupados pensando no “amanhã”, na próxima aula, na planilha do aluno que esquecemos de terminar, na conta que temos de pagar ou até mesmo no próximo fim de semana, e esquecemos o principal: o momento presente.

No momento presente conseguimos observar, prestar atenção nas palavras e nos detalhes que aquela pessoa que está a nossa frente pode nos oferecer como informação para proporcionar a melhor experiência que ela poderia ter, pois é através dessa experiência que ela irá continuar o trabalho com você, inclusive indicar o seu trabalho a outras pessoas. 

Mas como posso saber que tipo de experiência entregar ao meu aluno ou paciente? Fácil, utilize a empatia, se coloque no lugar do seu cliente e tente pensar com a sua cabeça. Faça perguntas a você mesmo que poderiam lhe ajudar a identificar os gostos, cheiros, palavras, cores e outras informações que te ajudariam a conquistar esse cliente de maneira orgânica e não somente com propaganda ou oferecendo planos de fidelidade para amarra-lo por obrigação. 

Nada melhor do que ter em seu espaço pessoas treinando ou se cuidando por gostar de estar lá ou pelo atendimento que ela tanto admira.

Quando agregamos valor no dia a dia das pessoas conseguimos de alguma forma tocar em um ponto que o mundo da tecnologia de hoje não faz, o contato pessoal e atenção direcionada, o olho no olho, a conversa e o carinho. Precisamos começar a pensar nisso na hora de vender, pois todo o processo mecânico, perde a humanização e não se torna orgânico.

Leia também sobre produtividade  e “Quer oferecer pilates para gestantes? Confira tudo o que precisa saber” aqui no Negócios de Saúde. Leia também “8 passos para desenvolver a meditação diária”.